5 dicas para proteger escolas de ciberataques

O setor educacional está significativamente atrasado quando se trata de segurança cibernética. Os cibercriminosos sabem que as escolas têm recursos limitados e possuem muitos dados financeiros e pessoais que são facilmente acessíveis.

Esta falta de recursos necessários está dificultando para as faculdades, universidades e escolas de ensino fundamental e médio a se defenderem dos ataques cibernéticos, que estão cada vez mais complexos e direcionados.

O que mais está contribuindo?

  • Falta de TI

A maioria das escolas possui pequenas equipes de TI, responsáveis não só pela proteção de centenas a milhares de dispositivos, mas também por resolver problemas diariamente, para melhorar a conectividade à internet, distribuir dispositivos e repará-los. O tempo que sobra para gerenciar problemas de segurança cibernética é pouco ou inexistente. Também, ao enfrentar restrições orçamentárias, as equipes permanecem menores e menos equipadas que as empresas ou agências governamentais comuns para lidar com as principais ameaças cibernéticas.

  • Inúmeros pontos de entrada

O amplo uso da internet por professores, alunos, funcionários e visitantes em toda a rede escolar acrescenta muitos pontos de vulnerabilidade. As redes Wi-Fi públicas de escolas e universidades abrem outro caminho para o ataque, além de contas de e-mail padrão com identificadores previsíveis que facilitam para os criminosos o envio de e-mails de phishing em massa que têm como alvo estudantes e professores.

Financiamento insuficiente: todos sabem que o setor educacional geralmente passa por problemas financeiros. Com funcionários mal remunerados e programas subfinanciados, pode ser difícil ou quase impossível garantir orçamento adicional para uma estratégia de segurança proativa.

  • Dados valiosos

Os cibercriminosos não discriminam quando se trata de escolher uma organização educacional para atacar. Os dados das escolas de ensino fundamental e médio são tão valiosos quanto os de uma universidade. Os números do seguro social de crianças pequenas são altamente valorizados no mercado negro de crime cibernético com informações financeiras e propriedade intelectual encontradas em uma rede de faculdades.

Os criminosos podem vender todas essas informações na darknet, usá-las para roubo de identidade e fraude no cartão de crédito, ou sequestrá-las e pedir dinheiro para resgate.

  • Software vulnerável

Todos os tipos de software podem levar a vulnerabilidades nos sistemas escolares. As mais novas ferramentas de ensino, software de contabilidade e aplicativos para avaliação dos alunos exigem correções oportunas quando novas versões são lançadas. Os administradores de TI das unidades de ensino lutam para acompanhar os testes e aprovar todas as atualizações e correções, além de lidar com problemas técnicos diários com um orçamento pequeno.

5 dicas para proteger as instituições de ensino do crime cibernético

  1. Educar professores, alunos e funcionários: primeiro, é importante definir uma política de segurança. A política deve incluir senhas, e-mail, internet, políticas de uso aceitável e muito mais. Dependendo da tecnologia e dos processos, o objetivo da política é definir regras e procedimentos que todos no campus devem seguir enquanto utilizam a rede Wi-Fi e os dispositivos da escola. Depois de finalizada, a política de segurança deve ser publicada em vários locais de fácil acesso e enviada para novos usuários como uma etapa introdutória na configuração de dispositivos ou contas. É essencial manter o corpo docente e os funcionários informados e realizar treinamentos mensais ou bimensais durante os dias úteis para aprimorarem a detecção de e-mails de phishing e aprenderem sobre novas ameaças
     
  2. Segurança em camadas: escolas, faculdades, universidades e outras instituições precisam de antivírus, que aprendem e se atualizam à medida que novas ameaças são descobertas. Depois, é importante criar camadas de segurança, tais como antimalware, firewalls, gateways seguros, aplicação de atualizações e outras, para criar uma defesa forte. A abordagem de segurança cibernética em camadas é uma maneira segura de proteger dados e dispositivos em um ambiente em constante mudança. Se uma camada for comprometida, como o firewall, existem camadas adicionais para garantir que seus dados estejam seguros e intactos
     
  3. Mantenha o software atualizado: as escolas usam inúmeros aplicativos e servidores com vulnerabilidades que permitem que os cibercriminosos obtenham acesso fácil à rede. Manter os sistemas atualizados garante que sua instituição estará protegida
     
  4. Faça backup dos seus dados na rede: se os cibercriminosos obtiverem acesso aos seus dados e ameaçarem criptografá-los ou destruí-los, é essencial ter uma estratégia de backup e recuperação. O uso de software automatizado de backup e recuperação garante que seus dados sejam mantidos em segurança e acessíveis a partir de qualquer lugar
     
  5. Monitore sua rede: garanta a visibilidade em toda a sua rede. Poder localizar as vulnerabilidades existentes e corrigi-las remotamente economiza tempo para as equipes de TI, além de poupar a rede de danos em grande escala

Untangle pode ajudar

Desenvolvido para equilibrar proteção, performance e produtividade, o Untangle NG Firewall é a solução ideal para qualquer cenário de TI: de pequenos escritórios a grandes empresas, da indústria a escolas com campus espalhados.